terça-feira, 13 de dezembro de 2011

O Som do Silêncio



Uma mulher passou em meu destino
Feito ave migratória
Não ficou no ninho
Bateu asas e voou
Foi embora sem destino
Como ave de arribação
Não deixou nenhum vestígio
Nem lembranças prá recordar
Uma noite apenas
De desvairada paixão
Sem fotografias
Sem roupas penduradas
Sem nada para se lembrar
Feito uma miragem
Miragem de passagem
Refletida em minha mente
Por um instante qualquer
Esta mulher me fez pensar
Que felicidade
Não esta em uma noite só
Desvairada
Refletida
Num ato tão vulgar
Numa mesa de bar
Ou onde a gente quer crer que esteja
Uma lembrança
Uma ave de arribação
Uma ave de arribação
Como um imigrante
Que foge do inverno
Eu procuro o teu calor
Como quem foge do inverno
Eu procuro o teu calor
Tu es minha estação verão
Tu es
Como mormaço
Em fim de estação
Tu es
Porto coração
Se quiseres que eu volte
Deixe a alma sempre em alerta
Deixe o amor se aproximar
Mesmo quando você não esperar
Eu irei chegar
Sem ao menos
A brisa perceber
Eu sou o som do silêncio
Sou ave de arribação.



Menezes Filho



3 comentários:

  1. esse poema é bom!

    http://rocknrollpost.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  2. Adorei o blog e estou te seguindo. Se der passa no meu. http://amostragratisrecebidas-vane.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  3. O som do silêncio traz inspiração para a alma.

    ResponderExcluir