terça-feira, 20 de novembro de 2012

"Consciência Negra"

 
 
Desde cedo aprendi que a origem da Raça Humana esta na África Negra. Que nossa gente é uma mistura do Negro com o Europeu (e o índio) e que a etnia dos Europeus tem na pele e na cor dos olhos a mesma origem. Resumindo: Toda explicação que houveram por bem me darem achei correta (As cores tem origem na falta de luz) e ao dar-me conta disso comecei a retroagir com meu raciocínio à última das origens e descobri por avaliação válida que Deus é Negro.
Preconceito, descaso, desmerecimento? Porque ter estes sentimentos menores apenas pela cor pele?Por lógica também os teria por Deus ou por qualquer um de nós... Pois quanto a Deus O sei Negro por ser a única Semente que poderia ter germinado na África, mas o que ainda não sei é se Deus seria um menino... Seria?!



“Menino”



Meus passos foram como de uma criança curiosa
Procurando descobrir todas as coisas da vida
Quando minha experiência já houvera me dado
Quase tudo que eu poderia querer ou saber,
Mas ainda assim, sigo caminhando pelas nuvens.
A procura de meus próprios vestígios
Pois um dia eu vaguei por aqui neste acolchoado de Deus
Apenas para deixar rastros de minha alma.



Sempre estive indo em busca do futuro
Deixando pegadas no meu passado
Sobre folhas soltas do outono
Pronto para acontecer no amanhã.
Nunca fui afeito à apatia
E sempre desde o começo a revelia
Por isso sempre recomeço.



Jamais serei um Sábio
Pois nem tudo da vida eu conseguirei saber.
Meus olhos é que vão mais além
Curiosos...
Vão e vem, dançam,
Ao ritmo de estrelas que flutuam ao anoitecer
E fazem de minha vida
Sempre uma imaginação a vencer o infinito.
Não crio um mundo de fantasias,
Mas o imagino.



“Que céu mais estrelado de esplendor é este meu Deus?!”
Perguntaria um incauto que acabara de chegar ao meu destino,
Mas quem comigo convive, não iria perguntar... Saberia!



Ao ver na obra de Deus
Um céu salpicado de estrelas
Mal sabe quem pergunta que elas estão ali deste cada raiar
Que Deus as faz acontecer a cada instante.
Falta-lhe imaginá-las quando não as vemos.
O ser humano não sabe idealizar as fantasias Divinas
Senão seria também um Deus
Mas sei por minha alma de criança;
Deus não criou as Estrelas de uma só vez
As fez como bolinhas de sabão
Como se tivesse um dia sentado
Na mesma calçada que um dia sentei
Fazendo bolinhas de sabão
Fantasiando-as uma a uma
De brilhos e tamanhos.
Como eu as fazia em minha imaginação inocente
Ele até as fez melhor
Como para presente
E depois as lançou ao espaço
Como se fossem as minhas coloridas bolinhas de papel
Ele sabia que um dia eu as faria
E me invejou, as fez primeiro!
Talvez Deus seja um menino como um dia eu fui
Talvez Deus ainda hoje suba em árvores
Para ver no ninho do Sabiá...
Os filhotes crescendo a cada dia
Só para brincar de Deus Criador,
Ah, um dia também brinquei!
Talvez Deus represe a água da chuva só para brincar
Com seu barquinho de papel em “Poças D’água”
Como um dia brinquei!
Talvez Deus tenha roubado daquela garotinha
Seu primeiro beijo.
Como um dia roubei!
Talvez Deus... Ainda lembre dela.
Talvez Deus seja mesmo um Menino
Que um dia eu fui!!


Marcondes Filho


5 comentários:

  1. quem julga as pessoas pela cor, são pessoas que não tiveram uma boa educação.

    ResponderExcluir
  2. Talvez Deus não exista e nós tenhamos que criar significados sem termos de recorrer a ele.

    ResponderExcluir